quinta-feira, 1 de abril de 2010

Notícias: CVP Maia só com uma ambulância disponível para socorro.


Desde Fevereiro que a Unidade de Socorro da Maia da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) tem apenas uma ambulância disponível para o serviço de emergência. A outra, baptizada de Vitória, ficou “bastante danificada” na sequência de um acidente e está parada até que haja indicações para a reparar, por parte do seguro.

Esta semana, o presidente da delegação da Maia da CVP recordou a PRIMEIRA MÃO que o acidente da Vitória aconteceu exactamente em serviço de emergência, num cruzamento Agora, estão a “decorrer os trâmites para verificar quem tem responsabilidades”, contou Nogueira dos Santos. Só depois se poderá avançar para a recuperação, de forma a ter a viatura novamente operacional.

Desde essa altura, o serviço de emergência da CVP da Maia está a ser assegurado por apenas uma viatura, mas sem que isso esteja a obrigar a unidade de socorro a rejeitar ou deixar de fazer alguns serviços. O também coordenador da unidade (depois da Cruz Vermelha ter acabado com a figura do comandante) admite “alguma limitação” na prestação dos apoios sanitários. Nestes casos, são assegurados por voluntários apeados ou recorrendo à ambulância que estiver de emergência:
Aliás, à semelhança do procedimento habitual antes da aquisição da Vitória, há cerca de um ano, “graças à colaboração de mecenas e da Câmara Municipal da Maia, e que veio melhorar a prestação que estávamos a fazer”, reitera Nogueira dos Santos.

Mais do que as viaturas, o presidente e coordenador está preocupado com a limitação de recursos humanos, alertando que “cada vez mais se torna muito difícil a prestação e a disponibilidade dos voluntários”. Actualmente, são cerca de 40 elementos, mas as suas obrigações profissionais reduzem o tempo disponível para a Unidade de Socorro da Maia da CVP. Daí que Nogueira dos Santos esteja a equacionar para este ano a abertura de um novo curso, “recrutando na comunidade voluntários que queiram vir servir a Cruz Vermelha Portuguesa”.

Entre os voluntários, Nogueira dos Santos decidiu nomear quatro sub-coordenadores para a área da emergência médica e pré-hospitalar: um responsável pelo imobilizado; outro que fica a cargo dos horários e recursos humanos; outro responsável pelos apoios sanitários e um quarto elemento encarregue da parte administrativa.

http://www.primeiramao.pt/

4 comentários:

Anónimo disse...

Subcoordenadores?
onde raio foram inventar essa nova figura?
Por isso que por mais mudanças que se tentem não será possivel.....
Enfim!

Anónimo disse...

Se calhar será a figura fo chefe de equipa...?
Nem sempre os jornais escrevem correctamente os factos...!

joao disse...

Eu fiquei chocado com este tipo de situações,espero sinceramente que essa situação da ambulância que fique resolvido o mais rapidamente possível, porque para um serviço de emergência como é a C V P torna – se as vexes um pouco complicado

Anónimo disse...

Boa noite, Infelizmente a unica ambulâncias que a CVP Maia possui além da que teve o acidente, è uma A1, que nem ambulância de socorro é. Além de nao serem os subcoordenadores e sim chefes de equipa, também nao são cargos um responsável pelo imobilizado Um outro que fica a cargo dos horários e recursos humanos; outro responsável pelos apoios sanitários e outro da parte administrativa, mas acho q dá para entender.
Espero que a Ambulância fique pronta o mais rapido possivel para servir a população e que venham mais colegas para este nosso mundo.